Ozônio em Piscinas

Publicado por: Ozonic Geradores de Ozônio Categoria: Tratamento de Água Publicado em:
Ozônio em Piscinas

A utilização de ozônio em piscinas trata a água utilizada de maneira eficiente e ecológica.

Vantagens da utilização do ozônio em piscinas

Compatível com qualquer tipo de piscina (fibra, vinil e azulejo).

Não altera a alcalinidade e o pH da água.

Pode ser utilizado em qualquer tipo de água (rede pública ou poço).

Compatível com qualquer produto químico utilizado no tratamento de piscina.

Elimina todos os tipos de micro-organismos e a cloramina.

Pode ser instalado em piscina com água quente ou fria.

Reduz muito a possibilidade de irritação da pele e dos olhos.

Deixa a água com aspecto mais limpo e bonito.

Benefícios do uso de ozônio no tratamento de água de piscina

Deixa a água mais saudável para quem possui problemas alérgicos e respiratórios (rinite, asma, bronquite).

Não deixa os olhos ardendo.

Previne micoses e outras doenças da pele.

Elimina todos os micro-organismos da água, inclusive o causador da inflamação do ouvido (otite).

Não deixa os cabelos esverdeados, nem mudam de cor.

A pele não fica ressecada.

Não descolore biquínis nem sungas.

Não descolore piscina de vinil.

Não deixa cheiro na água.

Água livre de cloro (reduz ao mínimo determinado pelo governo).

Curiosidade sobre a utilização de ozônio em piscinas

Piscinas Olímpicas são obrigadas a usar ozônio e não cloro desde a Olimpíada de Atlanta onde nadadores alemães se recusaram a nadar pois a piscina era tratada com cloro e eles já sabiam que este era cancerígeno.

A partir daí TODAS piscinas olímpicas só podem ser tratadas com ozônio.

Análises: bromatos, pseudômas aeroginosas, bolores (fungo e leveduras), ferro/bactérias, biofilme, cristoporideos e amebas

Instalação do ozônio em piscinas

Como funciona o tratamento de água de piscina com ozônio?

O tratamento de água de piscina com ozônio, basicamente, funciona da seguinte forma: a piscina é ligada a uma bomba de recirculação, que por sua vez essa bomba é ligada ao filtro de areia, que é ligado a um registro controlador de sucção e, também, pelo gerador de ozônio.

Na sequência, o gerador de ozônio envia a água de volta para a piscina, já incluindo o ozônio na água, iniciando assim o processo de limpeza da água com o ozônio.

Misturando ozônio na água de piscinas

Este  sistema venturi cria uma diferença de pressão que faz um vácuo e suga o ozônio e este se mistura na água perfeitamente.

Eliminação da formação de biofilme

O uso de Ozônio para inibir crescimento bacteriano e remoção de biofilmes, de modo eficaz no circuito hidráulico.

A presença de biofilmes reduz a eficiência de agentes químicos normalmente usados como desinfetantes, como Hipoclorito de Sódio e Ácido Peracético, gerando um ciclo vicioso, pois o aumento do biofilme interfere com a destruição de bactérias e endotoxinas13. O uso prévio de agentes físicos com propriedades descamantes, como o Ácido Acético, Ácido Cítrico ou Ácido.

Já o Ozônio, por suas propriedades de oxi-redução, em concentração adequada, destrói por completo o biofilme e também suas bactérias, inclusive em estudos realizados em segmentos removíveis de circuitos hidráulicos de Unidades de Hemodiálise, sendo muito bem documentada a efetiva destruição do biofilme por meio de microscopia eletrônica.

Como medir o residual de ozônio na piscina?

Usar medidor de Redox

O ideal é deixar um residual de 0,2 ppm de Ozônio

Comentários

Deixe o seu comentário

* Campo obrigatório